logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

Abrafrutas defende a reestruturação e concurso para Auditores Agropecuários

 

Está na hora de expandir o número de servidores, afirmou Guilherme Coelho

     

 

Na tarde desta última quinta-feira, dia 24, o presidente da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados, Guilherme Coelho, participou de uma audiência pública na Câmara dos Deputados com o objetivo de defender a reestruturação remuneratória da categoria e concursos para Auditores Fiscais Federais Agropecuários.

 

Segundo o presidente da Abrafrutas, que participou de forma online, o Brasil como um dos maiores produtores de Frutas do mundo e com grande potencial exportador, depende muito do trabalho exercido por esses profissionais que trabalham diuturnamente para garantir que as frutas cheguem em tempo hábil ao destino, sem perder a qualidade que tem. Ele afirma que estes têm papel fundamental para a fruticultura brasileira.

“Sou testemunha do compromisso dos auditores fiscais com a fruticultura, pois na minha região, Petrolina, eles fazem o possível. Faço um apelo as autoridades, está na hora de expandir o maior número de servidores”, disse Guilherme.

 

O secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart, que também esteve compondo a mesa, apresentou o quantitativo e onde os servidores se encontram alocados. Segundo ele, a defasagem é enorme o que prejudica o desenvolvimento e o trabalho, além de sobrecarregar os servidores em exercício.

“A nossa atividade majoritária no Ministério é a defesa e funciona 24horas por dia, por sete dias das semanas, em todos os dias do ano. Todos os dias tem um auditor fiscal trabalhando em algum local deste país. E o desafio é: a lógica orçamentaria da União não combina com a lógica de trabalho da defesa agropecuária”, afirmou o secretário.

Também ao defender a reestruturação da carreira dos auditores agropecuários, o presidente do Anffa Sindical, Janus Pablo, relatou sobre o incansável e eficiente trabalho realizado pelos Auditores, na época da pandemia, de maneira que asseguraram os alimentos produzidos e consumidos no Brasil e no mundo. Ainda segundo ele, por meio dos trabalhos os, Auditores contribuíram significativamente com a balança comercial brasileira, que se refletiu nos números do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB).

“Não abandonamos a nossa missão, ficou comprovado durante a pandemia, que nosso trabalho também se refletiu na segurança nacional, pois o alimento foi um item muito importante durante o processo pandêmico, aonde o mundo ficou refém dos países produtores de alimentos”, disse o presidente da ANFFA.

Como demostrado pelos dados apresentados por Janus Pablo, em dezembro de 2008, eram 3.500 Auditores Agropecuários em atividade e, atualmente, são menos de 2.400. Em dezembro de 2000, o PIB Brasileiro estava na ordem de R$ 400 bilhões e atualmente, está na casa dos R$ 1,3 trilhões, sendo que a categoria está trabalhando com praticamente a metade da força de trabalho. “Não estamos conseguindo atender com a crescente demanda do agronegócio brasileiro, os auditores agropecuários estão adoecendo, pois a carga de trabalho é grande”, contou.

Esteve também presente na audiência o Presidente do Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), Rudinei Marques, e o Presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e Tribunal de Contas da União (Sindilegis) e Instituto Servir Brasil, Alisson Sousa, e a mesa foi dirigida pela deputada federal Fernanda Pessoa (UNIÃO/CE), autora do requerimento que possibilitou a realização deste encontro.

Por: Telma Martes, comunicação Abrafrutas

[glt language="English" label="English" image="yes" text="yes" image_size="24"]
[glt language="Spanish" label="Español" image="yes" text="yes" image_size="24"]