logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

Parceria deve ampliar vendas da fruticultura cearense para Dubai

Presidente da federação cearense tem discutido o aumento de produção com empresários locais focando articulações da Confederação a partir de um novo escritório em Dubai

O agronegócio cearense está buscando articulações para expandir os negócios com o mercado no Oriente Médio, focando nas vendas para Dubai. Segundo o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), José Amilcar, a instituição já está buscando incentivar empresários a elevar níveis de produção para atender a esta demanda externa.

Em viagem ao Cariri, Amilcar revelou que está dialogando com alguns empresários para que se aumente a produção de frutas em certas regiões do Estado para aumentar a venda para o mercado em Dubai. A Faec vem desenvolvendo essa perspectiva depois de uma sinalização de apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que se disponibilizou a conectar negócios no Estado e na cidade nos Emirados Árabes.

A Confederação, contou Amilcar, deverá utilizar a estrutura do novo escritório em Dubai para articular novos negócios.

“A CNA abriu um escritório em Dubai e estamos no Cariri para desenvolver a fruticultura para exportação, e a gente está buscando incentivar os produtores para que a gente possa ter mais vendas. Cada hectare no setor da fruticultura é um emprego gerado, e nós temos o potencial de gerar cerca de 54 mil novas oportunidades”, disse o presidente da Faec.

“A federação quer incentivar os produtores a plantar mais frutas nos perímetros irrigados para exportação. Como é muita fruta, a gente acredita que temos de explorar o mercado de exportação. Já conversei com um empresário que produz bananas e estamos buscando essas articulações pela CNA”, completou.

SEGURANÇA HÍDRICA 

Segundo Amilcar, o trabalho de incentivar os produtores cearense, contudo, não é fácil, pois depende de garantir um bom nível de segurança hídrica, algo que precisaria passar por uma regulamentação da garantia do uso e envio de água para o agronegócio.

Ele comentou que a Faec já está articulando um projeto com o Governo do Estado, já que a administração pública demonstrou interesse em impulsionar a produção de frutas nos perímetros irrigados no Ceará.

“Esse convencimento para os empresários produzirem mais passa por garantir água. A ideia é fazer uma regulamentação dos recursos hídricos porque precisamos disso para o produtor. Procuramos o Estado para que tenhamos a segurança hídrica e estamos trabalhando, mas eles já demonstraram que têm interesse em elevar a produção nos perímetros irrigados”, disse.

ASSISTÊNCIA TÉCNICA E CRÉDITO

Para dar um apoio ainda maior aos produtores, o presidente da Faec afirmou que a Federação está trabalhando em projetos para elevar a oferta de assistência técnica aos produtores em todo o Estado.

Além disso, o próximo passo, segundo ele, será garantir uma oferta de crédito aos empresários que decidirem investir no Ceará.

“Nós achamos que para dobrar o agronegócio no Ceará, precisamos de assistência técnica e crédito. Acreditamos que temos uma nova fronteira agrícola, que é de grãos na serra do Araripe, e seria importante porque o Ceará não produz todos os grãos que precisa. É um trabalho de longo prazo, mas o Governo também está disposto a trabalhar nisso”, explicou.

Fonte: Diário do Nordeste