logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

ATeG: produtores da fruticultura elevam a renda após aumento da produção

Produtores elevam a renda apos aumento da producao foto ascom senar

O resultado ultrapassou a meta estabelecida em cerca de 73%

Com o foco na elevação de renda, melhoramento de produção e gestão rural de forma educativa, a Assistência Técnica e Gerencial do Senar Sergipe (ATeG), criada em 2016, já transformou a vida de centenas de produtores rurais ao longo dos seus sete anos de existência.

Com uma área plantada de 5,74 ha ativos de laranja, o produtor Ademário Monteiro Souza, morador do povoado Oití, município de Tomar do Geru, é um exemplo de que a ATeG tem proporcionado resultados positivos.

Mesmo com um histórico de respostas insatisfatórias em seu pomar, após seguir todas as orientações passadas pela técnica de campo, Ademário alcançou mais que o dobro da meta estabelecida, cerca de 73,86% a mais em um ano. Inicialmente, o esperado era 30 toneladas, mas ao final foram obtidas 89 toneladas no ano. Com esse resultado, o produtor aumentou a sua renda e a da sua família.

“Só tenho a agradecer a todo o programa, à minha engenheira que é nota 10, Flávia. Ela veio para somar e ajudar a gente a, cada dia mais, produzir de forma correta, com grandes tecnologias, que estamos começando a buscar, e trazer qualidade ao nosso produto”, disse.

Satisfeito com os bons resultados obtidos através da ATeG, João Henrique Hora, produtor rural do município de Itabaianinha, também notou melhorias em sua produção após a intervenção da assistência do Senar.

“Quando a gente iniciou o programa de Assistência Técnica e Gerencial do Senar, tínhamos uma propriedade que não dava lucro. A propriedade sempre estava trabalhando no vermelho e os tratos culturais não estavam sendo realizados de forma eficiente. No decorrer desses dois anos, a gente conseguiu fazer com que a propriedade conseguisse ter o seu próprio caixa, sem precisar de aporte financeiro de outras áreas para conseguir esse resultado”, relata.

A engenheira agrônoma Flávia Lima, técnica campo do Senar, conta que uma das principais vantagens para os produtores neste ano de 2023, foram os preços satisfatórios da laranja, principalmente, na fábrica. Em decorrência do Greening, doença que tem afetado a citricultura dos outros estados do país.

“Hoje, com o acompanhamento da ATeG, que tivemos durante esses dois anos, conseguimos mensurar a importância, a produtividade e a qualidade que os produtores tiveram, principalmente, nos seus pomares de laranja, onde eles conseguiram mensurar e ver que têm condições suficientes de ter uma produção satisfatória e aproveitar esse momento, esse ensejo que a citricultura sergipana está sendo valorizada”,

Os produtores citados fizeram parte do grupo 2021/2023 da Assistência Técnica e Gerencial do Senar em Fruticultura, que foi concluído em encontro na última sexta-feira, 20. Na ocasião, a palestra “Como empreender na fruticultura, com foco em marketing digital e orientações sobre como começar”, conduzida pelo especialista em marketing digital Lucas Andrade, e a apresentação dos resultados da ATeG em Fruticultura, realizada pela técnica de campo Flávia Lima, compuseram programação.

Produtores elevam a renda apos aumento da producao foto ascom senar 2

A ATeG

O Senar Sergipe está com 355 novas vagas abertas para novos grupos de produtores rurais interessados em fazer parte do programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG). Podem participar produtores das mais diversas cadeias. O cadastramento ocorre até o dia 1º de dezembro por meio dos links, de acordo com a cadeia produtiva da propriedade e pré-requisitos descritos:

Avicultura: 500 aves

Agroindústria: Regularização da Agroindústria

Apicultura: 5 colmeias povoadas

Aquicultura: Produção mínima de 500kg/ciclo

Bovinocultura de leite: Produção mínima de 70L/dia

Bovinocultura de corte: 20 Animais adultos

Suinocultura: mínimo 6 matrizes ou (para ciclo completo e unidade produtora de leitão) e/ou acima de 20 suínos terminados/mês (para unidade produtora de terminados).

 

Fonte: Ascom Faese Senar