logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

CNA e Sebrae assinam acordo de cooperação para registro do umbu na União Europeia

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, e o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Bahia), Jorge Khoury, assinaram nessa semana um acordo de cooperação técnica e financeira para registrar o umbu na União Europeia.

A parceria, firmada durante reunião do Conselho Deliberativo do Sebrae, prevê a elaboração de um dossiê sobre o umbu nas regiões de Curaçá, Uauá e Canudos, na Bahia. O objetivo é possibilitar que os pequenos produtores possam exportar a fruta e seus derivados, como a geleia e a cerveja, para o bloco europeu.

O coordenador de Promoção Comercial da CNA, Rodrigo da Matta, explicou que a demanda surgiu no projeto Agro.BR. “A Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc) procurou o escritório estadual do projeto na Bahia e solicitou apoio para o reconhecimento do umbu na Europa e posterior exportação”.

De acordo com Rodrigo, a ideia do dossiê é comprovar para a União Europeia que o umbu é uma fruta segura, típica do Brasil e consumida há muitos anos.

A Coopercuc é uma participante ativa do projeto Agro.BR. Em julho de 2020 realizou a primeira exportação de doce de maracujá com banana para a Alemanha. Com o registro do umbu aprovado na UE, o próximo passo será embarcar o doce da fruta.

Para uma fruta entrar nos mercados que integram o bloco europeu ela precisa atender às exigências da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA). A formalização é uma maneira de proteger as lavouras e a saúde da população.

Agro.BR – O projeto é um convênio entre a CNA e Apex-Brasil voltado para a internacionalização do agro brasileiro. A iniciativa auxilia empresários do setor, viabilizando negócios internacionais para aumentar a presença de pequenos e médios produtores no comércio exterior. Saiba mais.

Fonte: CNA