logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

Abrafrutas participa de reunião preparatória para a COSBAN com o vice-presidente Alkimin

 

Hoje (21), pela manhã, representantes de associações e confederações, participaram de uma reunião preparatória para a VII Sessão Plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN). A COSBAN é o mais alto mecanismo institucional de cooperação entre Brasil e China, abrangendo diversas áreas, como econômico-comerciais, econômico-financeiras, agrícolas, tecnológicas, energéticas e de mineração, e contou com a presença do vice-presidente da República, Geraldo Alkimin.

Durante o encontro, cada representante apresentou os principais pontos de interesse para enfatizar o bom relacionamento entre brasil e China. O presidente da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), Guilherme Coelho, destacou a importância da fruticultura no desenvolvimento do país e o recorde histórico das exportações alcançado em 2023. Ele também abordou as tratativas finais para a exportação de uvas para a China e as perspectivas positivas desse mercado para o setor.

Na reunião, O presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), Jorge Viana, que também se fez presente neste encontro reforçou a importância e o crescimento significativo do setor de frutas, enfatizando, porém, a necessidade de expansão contínua. Destacou ainda que a parceria entre Brasil e China é fundamental para alcançar novos patamares de sucesso e conquistas.

Este ano marca o 50º aniversário do relacionamento bilateral entre Brasil e China. Nas últimas duas décadas, a China se tornou um destaque significativo no comércio exterior brasileiro, sendo o principal parceiro comercial do país desde 2009. Em 2023, as exportações atingiram um marco histórico de US$ 104 bilhões, destacando a crescente importância da relação entre essas duas nações.