logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

Plano Safra: ‘Recursos disponíveis não cobrem nem as operações já feitas’

Em reunião sobre os cortes no Orçamento de 2021, subsecretário do Ministério da Economia fez alerta importante sobre o dinheiro para o agro

 

A Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados realizou nesta sexta-feira, 16, uma audiência pública sobre o corte no Orçamento para subvenção do crédito agrícola, seguro rural e apoio à comercialização no Plano Safra 2021/22.

O subsecretário de Política Agrícola do Ministério da Economia, Rogério Boueri, participou do evento e disse que, com o atual cenário, não haverá recursos extras para apoiar o setor.

“Se nós não conseguirmos arrumar esta situação, não há recurso para o Plano Safra em 2021. A situação é crítica porque os recursos que sobraram no Orçamento já não são suficientes para pagar as operações feitas no passado, quanto mais fazer novas operações”, disse.

Boueri defendeu que o orçamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) seja recomposto. “E, se possível, uma pequena recomposição em investimentos também”, pediu.

O secretário-executivo adjunto do Ministério da Agricultura, Márcio Eli, também afirmou que o setor não pode perder recursos. “Não podemos perder o que recebemos de emendas, nem por via de cancelamento ou de contingenciamento. E ao mesmo tempo temos uma preocupação muito grande com a recomposição”, disse.

O diretor de crédito e informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Wilson Vaz de Araújo, disse que a não recomposição do Orçamento pode complicar todo o planejamento. “Vai deixar uma incerteza muito grande no setor rural e nas políticas públicas de forma geral”.

A presidente da comissão, deputada federal Aline Sleutjes (PSL-PR), afirmou que é preciso trabalhar nas questões do Orçamento para 2022, para possibilitar mais recursos. “Quem sabe teremos um ano mais tranquilo, com mais recursos”.

Fonte: Canal Rural