logo-abrafrutas
 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es
[gt-link lang="en" label="English" widget_look="flags_name"]
[gt-link lang="es" label="Españhol" widget_look="flags_name"]

ENTRE EM CONTATO

+55 61 4042-6250

Órgãos do Estado discutem na Uema a produção e expansão da fruticultura maranhense

 

 

 

Na tarde dessa quarta-feita, 28, o reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), professor Walter Canales e o vice-reitor professor Paulo Catunda, receberam diversos órgãos que trabalham com arranjos produtivos relacionado à fruticultura no Maranhão, liderados pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Programas Estratégicos do Estado, José Reinaldo Tavares, além dos representantes da Câmara de Comércio Brasil-Portugal, Julianderson Bandeira e Daniela Freire.

O objetivo principal do encontro foi reunir todos os atores do ecossistema de inovação ligados à fruticultura para a montagem de uma agenda de trabalho conjunta que vise à produção de frutas de qualidade, bem como discutir a construção, no Campus Paulo VI, de um Centro Tecnológico, que servirá como referência na certificação desses produtos para exportação.

Durante a reunião, falou-se, ainda, da necessidade de estabelecer parcerias consistentes para fortalecer o setor industrial e apoiar a comercialização dos produtos maranhenses no mercado internacional.

Para o secretário José Reinaldo Tavares, este projeto que está sendo discutido hoje na Uema é necessário para o desenvolvimento do Maranhão, porque dá muito emprego e é rentável. A ideia é levantar um Centro Tecnológico que vai oferecer uma grande contribuição para esse modelo de cultura dentro do Estado. “Aqui na Uema vai funcionar esse Centro, que cuidará de toda a certificação da produção. A Uema será fundamental nesse projeto”, esclarece o secretário.

O vice-reitor Paulo Catunta, explicou que foi uma reunião muito importante, até pela quantidade e interesse dos atores produtivos do Maranhão presentes no encontro. “Estou convencido de que há uma convergência de todos para a preparação do produtor e do produto para a exportação. E onde a Uema entra nisso? A universidade tem doutores preparados em diversas áreas, com mão de obra qualificada para atingir os objetivos”, afirma o professor

De acordo com o presidente do Senar, Raimundo Coelho, este projeto é fundamental para o Maranhão, envolve sonhos de várias autoridades, de produtores rurais, de entidades tanto da agricultura como dos serviços de apoio. “Eu vejo que ele cabe em dois momentos, de curto e longo prazo, tendo em vista o potencial que já temos para atender o mercado interno, mas ainda  podemos elaborar um plano de desenvolvimento que exija mais investimentos, isso é para longo prazo”, disse Raimundo.

Já o representante da Câmara de Comércio Brasil-Portugal, Julianderson Bandeira, enfatizou que a oportunidade de dar visibilidade aos produtos maranhenses é única, e a Câmara Brasil-Portugal está à disposição para contribuir com este projeto no universo europeu.

Órgãos participantes

Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Programas Estratégicos, Universidade Estadual do Maranhão, Agerp, Saf, Sagrima, Porto do Itaqui, Embrapa, Aged, Fiema, Faema, Sebrae, Imesc, Senar, Senai e Câmara de Comércio Brasil-Portugal

Por: Alcindo Barros  /  Fotos: Luís Paulo

Fonte: Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)